quarta-feira, 28 de abril de 2021

Que país é este?

Mas afinal, porque os gringos amam tanto este nosso país?

Imagem de filkaman por Pixabay

Tenho acompanhado alguns canais de estrangeiros que falam sobre o Brasil. Gente de todas as partes do planeta, reagindo as nossas músicas, a nossa cultura, aos nossos costumes, a nossa comida. Entre os que vieram estudar e os que só vieram conhecer, muitos acabam ficando por aqui. E uma coisa todos tem em comum. Se apaixonam pelo Brasil e pela gente alegre desta terra.

Mas a pergunta que insiste em permanecer é esta: porque nós, que nascemos e crescemos aqui, não conseguimos ver o que eles enxergam em nossa nação? É óbvio que uma grande parte desses "gringos" não conhecem nossos problemas, mas mesmo aqueles que entendem as dificuldades sociais, econômicas e políticas que passamos, ainda assim continuam apaixonados por este pedaço de terra ao sul do equador.

Fiquei analisando e cheguei a algumas conclusões: Veja o caso da Olga do Brasil , uma russa que veio estudar português e ficou por aqui. Em seus vídeos fica claro que na Rússia existem inúmeros problemas sociais, econômicos e políticos que a fizeram olhar para nosso lar e enxergar um paraíso, imperfeito mas ainda assim um paraíso. Ou o caso do Tim Explica, um norte americano que ensina português para americanos e inglês para brasileiros e adotou o Brasil como seu segundo lar.

Eu poderia ficar horas citando outros canais mas o que eu quero é compartilhar algo maior que descobri assistindo essa gente de além mar. A maioria deles, se não todos, conhecem as mazelas desta terra, sabem dos inumeráveis problemas, mas o que eles realmente enxergam é a nossa maior riqueza que é única. Eles se apaixonam por nós, pelos brasileiros. Ficam maravilhados com nossa diversidades étnica, nossa alegria, que ultimamente vem escorrendo pelo ralo da ignorância por conta do politicamente idiota. Se encantam com nossos costumes, gírias, calor humano, nossa mania de pegar nas pessoas para falar, Nossa música, nossa arte, a nossa liberdade.

Observam um povo que rala pra caramba pra colocar comida na mesa, mas que faz de um espetinho na lage, uma festa de arromba. Um povo que mesmo sendo roubado e enganado por um sistema cruel e corrupto, nunca perde uma oportunidade de dar umas boas gargalhadas. Um povo forte que, mesmo com o vento contrário, continua nadando contra a corrente na esperança de ter um pouco mais do que o mínimo.

Talvez, se nós começarmos e ver o que eles percebem em nós, haja uma mudança real, e nós, os brasileiros, descendentes de índios, negros, portugueses, holandeses e até russos façamos desta mistura um motivo de união. O sistema quer nos separar por classes sociais, por cor de pele, por crença ou descrença. Nada disso importa. Pois unidos somos imbatíveis.

Pense nisso!



Imagem de filkaman por Pixabay

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

E a Ford, heim?

 A gigante americana caiu fora!


Nesta segunda, 11 de janeiro de 2021, a Ford Motor Company, anunciou que está encerrando suas atividades, como montadora, em território nacional, com o fechamento de suas últimas três fábricas. De acordo com a empresa o motivo é a "pandemia".

Mas vamos ser honestos. A empresa que criou o Mustang e nos encantou com o Maverick, ganhou muito dinheiro em nosso país. Seus carros, como os de outras montadoras, sempre foram a mais caros aqui do que no mercado externo, mesmo tirando os impostos. Sem falar na mão de obra barata que usufruíram ao longo de todos estes anos.

Agora que o país chega ao ápice de uma crise econômica, construída ao longo das últimas décadas, é fácil cair fora. Afinal com a crescente automação industrial capitaneada pelas IAs, já não necessitam mais do exercito tupiniquim sindicalizado e mal pago.

Mas eu não quero falar da Ford, pois tirando o V-8 e a Ecosport, nunca fui fã dos veículos da marca. Aliás tive péssimas experiências com um Escort.

O que me chama a atenção nesta reviravolta é uma constatação de algo que eu já falava há muito tempo. Não sou conspiracionista, mas é tão óbvio que existe um plano mundial e, neste planejamento, a função do Brasil é ser uma grande fazenda produtora de comida para os irmãos mais ricos.

Se temos indústrias e um pouco de tecnologia, é por pura teimosia de alguns. Mas a destruição da capacidade racional e reacional do nosso povo, foi sendo destruída paulatinamente por um programa escolar de péssima qualidade aliada a uma produção cultural de extrema pobreza intelectual que transformara grande parte da população em seres sem expressão e totalmente dependentes do estado.

E graças a uma polarização ideológica produzida pelos extremos que se abraçam nos bastidores, nos tornamos inimigos de nós mesmo.

Não se engane. Caminhamos para o caos. Mas o que nos mantém de pé é a certeza de um Deus soberano que nos permite enxergar as entrelinhas e nos dá a esperança necessária para prosseguir.


terça-feira, 21 de julho de 2020

Cassiane Relativizou a Violência Doméstica?

Muito se tem falado sobre o novo e infeliz clipe da cantora gospel Cassiane, então vamos a ele.



Esta semana, o assunto nas mídias, dentro e fora do universo gospel foi o clipe da nova canção da cantora Cassiane, que faz parte do elenco da MK Music. Segundo uma boa parte dos veículos de imprensa, blogs e todo uma série de opinadores digitais, o clipe da música, A Voz, teria relativizado e até mesmo romantizado a violência doméstica. No meio de tudo isso, resolvi assistir ao tal clipe e vou fazer aqui a minha análise pessoal. Quero deixar claro que não sou ouvinte da cantora mas vou ser o mais imparcial possível sem deixar a minha opinião pessoal de lado, obviamente.

A Canção


Musicalmente falando, o arranjo não trás absolutamente nada de novo, é apenas mais do mesmo. A introdução calma e suave que vai caminhando numa progressão matemática para o clímax final, onde sempre acontece aquela explosão sonora em cima do refrão. Tecnicamente bem executada e bem gravada mas musicalmente não acrescenta nada de novo no front. Com todo respeito, esse estilo musical adotado por grande parte das cantoras e cantores gospel lembra muito o tal sertanejo. Se você ouviu uma música, ouviu todas e já sabe o fim.

A Letra


Poeticamente fraca, a letra da canção é uma ode ao poder de Deus que daria um bom clipe exaltando a grandeza do Deus que cremos e servimos (também sou cristão). Em relação à temática do clipe, não tem nada com nada. Uma coisa não se liga a outra e o vídeo parece ficar perdido no meio da música e vice versa.

O Clipe


Tecnicamente, me desculpem os fãs, o vídeo é péssimo. Deixa claro que haviam feito as filmagens para encaixar em qualquer canção e aproveitar o hype do momento para ganhar views, mas a má qualidade da produção e um roteiro amador, não agradam e nem convencem. As transições entre a suposta história e as aparições da cantora são lastimáveis. A dinâmica é fraca, a fotografia é ruim e a pós produção parece não ter acontecido, sem falar nas atuações ao melhor estilo, novela mexicana. Parece decoração de TNT (se é que me entendem).

A Mensagem


Não creio, em sã consciência, que tanto a cantora quanto quem roteirizou a peça, pensou em relativizar ou romantizar a violência doméstica contra as mulheres. Para quem é conhecedor das Sagradas Escrituras, fica evidente que a ideia é mostrar que mesmo as piores pessoas podem ser transformadas pelo Poder de Deus. O problema é que o script é muito ruim e a edição não conseguiu deixar isso claro o que levou a muitos pensarem que a cantora quis passar pano em um assunto tão sério.

Prefiro continuar crendo que foi um equívoco infeliz gerado pela falta de profissionalismo do que uma intensão maléfica. Mas a polêmica trás a luz uma questão importantíssima que é a maneira como grande parte das instituições religiosas tratam a questão da violência doméstica.

Não é raro, casos de mulheres, vítimas de homens truculentos serem praticamente obrigadas a manter um relacionamento destrutivo e doente, em nome de uma falsa doutrina do: "O que Deus uniu não separe o homem", ou ainda colocando a culpa na mulher com afirmações como: "precisa orar mais", "a Bíblia diz isso e aquilo" distorcendo as verdades bíblicas e mantendo inocentes em verdadeiros infernos, num triste círculo vicioso.

É urgente, trazer estes assuntos aos púlpitos, de maneira séria e equilibrada. Muitos líderes terão um alto preço a pagar pelas muitas vidas destruídas em nome de um Deus que não encontramos na Bíblia.

Conclusão


Sei que a cantora não irá ler este post, mas minha sugestão é: Jogue fora este clipe e faça outro que esteja em consonância com a letra e feito por profissionais, pois o clipe ficou parecendo uma produção caseira de baixo orçamento.

Até a próxima!

Dados da Foto:

Description: Cassiane no DVD 'Um Espetáculo de Adoração'
Date: 10 February 2015
Source: Own work
Author: WillDavid
Link da imagem: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Cassiane.png

sábado, 23 de maio de 2020

No Forte Apache tem Bandido, tem Mocinho e até Donzelas

Ninguém é totalmente imparcial, mas prometo que vou tentar!

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

Antes de qualquer coisa, para que o leitor compreenda o meu ponto de vista, preciso deixar bem claro a minha opinião a respeito do atual presidente, Jair Bolsonaro. Sempre o vi como alguém rude e com pouca inteligência, que não seria a solução, mas que no momento das eleições de 2018, acabou se tornando a única opção para o segundo turno das eleições presidenciais. Afinal, ou deixávamos o PT se perpetuar no poder ou arriscávamos. A resposta é obvia: Melhor correr o risco do que não tentar.

Dito isto, vamos aos fatos a respeito do tão propalado vídeo, da reunião ministerial com o presidente, citado pelo ex-ministro Sérgio Moro em seu depoimento. Prometo não dar muitos spoilers do conteúdo, por isso optei por traçar um perfil dos personagens que se destacam e concluir, com os prováveis cenários deste caso, que, obviamente ainda está em aberto. Então vamos lá.

Os Três Grupos

É possível identificar três grupos de pessoas no andamento da reunião. Os liberais, os políticos e os militares. Vamos entender um pouco melhor, cada um desses grupos.

Os Liberais


É composto pelo pessoal mais técnico, que realmente tem interesse em que o país cresça com menor intervenção estatal, mais atento as liberdades individuais e aos direitos humanos. Querem se dar bem mas sabem que para isso é preciso que o país fique bem. Não são patriotas, são nacionalistas e trafegam entre o conservadorismo ético e moral e liberalismo econômico. Nesse grupo temos gente como: Paulo Guedes, Ricardo Sales e Damares Alves.

Os Políticos


Reúne os caras que estão acostumados a tratar as coisas pelo viés político e que sabem como funciona a máquina. O presidente faz parte deste grupo. Até querem fazer as coisas mas sem perder a hegemonia do Estado no controle das ações. Muitos seguem as velhas cartilhas de estatização. outro que faz parte desse grupo é o Braga Neto.

Os Militares


Esta turma é complicada, deixaram o poder mas parecem nunca ter se conformado com isto. Tem sua maior representação na figura do vice Hamilton Mourão. Suas falas em geral demonstram que se der, eles assumem de volta, o que é um perigo.

O Casal Vinte


Sem dúvida o destaque da reunião, vai para os ministros Paulo Guedes e Damares Alves. É notória a preocupação do Guedes com a modernização da economia brasileira e a necessidade de fazer as coisas da forma certa. Defensor de um estado mínimo está disposto a tudo para que o país flua mas, precisa de um pouco de freio pois é do tipo: Abre a porteira e libera tudo. É nesse ponto que entra a Damares, uma pessoa extremamente preocupada com a preservação dos direitos humanos. Num determinado trecho ela mostra que apoia o Guedes desde que as ações propostas não permitam a exploração dos vulneráveis e a lavagem de dinheiro sujo em nosso território. A ministra também fez denúncias graves sobre os abusos que vem sendo cometidos contra a liberdade dos cidadãos, em certas localidades. Algo sério que, provavelmente será ignorado pela mídia.

Sem dúvida os dois formam uma dupla imbatível que mistura desenvolvimento com responsabilidade em doses bem equilibradas. Passei a admirar mais ainda estes dois.

Os Protagonistas


No entanto, o conteúdo desta reunião só veio a tona por conta da saída do ex-ministro Sérgio Moro, do ministério da justiça e suas diferenças com o presidente Jair Bolsonaro. Então vou deixar aqui a minha impressão sobre cada um destes personagens.

O Jair


O Bolsonaro é o típico cara grosso e sem educação que fala muito palavrão e diz muita bobagem. Ele mesmo admite isso em um trecho de suas falas. É o cara que protege os chegados e não esconde esta preocupação. Se existe algo escondido, não fica claro neste vídeo mas cabe uma investigação. Se for descoberto algo, que sejam punidos os envolvidos. Mas uma coisa é certa. Ele não é bobo.

Ele fala o que o povo médio quer ouvir. É como aquele garoto de prédio que quer se enturmar e faz qualquer loucura pra isso. Não mede as consequências. Muito do que ele diz está correto mas a forma como diz é, por vezes, assustadora.

Mas no tocante a isso (rsrsr), creio que ele não sai tão desgastado desta história.

O Moro


Sérgio Moro, como bem definiu, um grande amigo, é um homem da palavra escrita. É no papel que o paranaense sabe se expressar, mas quando se trata de verbalizar oralmente ele perde terreno em qualquer debate. Suas falas são poucas e pouco conclusivas. Neste vídeo ele nos dá a nítida impressão de ser um estranho no ninho com uma participação polida e reduzida que não comprometem sua imagem mas também não lhe conferem o status de um paladino da justiça. Difícil! Confesso que esperava mais.

Conclusão


Admito que é difícil tirar uma conclusão, mas podemos chegar a um meio termo analisando a partir de dois extremos.

Os Haters


Para essa galera, certamente o vídeo é bombástico e demanda uma cassação imediata do mandato. Irão descartar todos (TODOS) os aspectos positivos da reunião e concentrar sua artilharia nos pontos negativos com a narrativa de sempre. Esteja preparado para uma avalanche de opiniões dos "especialistas" e por uma enxurrada de palavras de ordem e hashtags no Twiter.

Os Bolsominions


Já para estes, o vídeo demonstra que o MIIIITO está no caminho certo, e que o que ele disse não foi o que ele disse porque não era isso que ele estava dizendo. Essa turma parece ter tido aula com a Dilma para explicar o inexplicável. São devotos e como todo devoto, carregarão o andor, com seu bezerro, até o fim da procissão.

O Meio Termo


Buscando um equilíbrio entre estes extremos, minha opinião pessoal é de que: sim, existem pontos obscuros que devem ser esclarecidos para que não reste dúvidas tanto de culpados como de inocentes.

Por outro lado, para quem imaginava um vídeo devastador, o material chega a decepcionar. São pessoas normais discutindo os rumos do país sem a preocupação de agradar a mídia. Uns mais equilibrados, outros menos. Alguns mais desbocados, outros tantos mantendo o nível. E por aí vai.

Mas eu arrisco um palpite: se não surgir nenhum fato novo, o JB será reeleito em 2022.

OBS.: Pra quem ficou horrorizado com os palavrões, só uma pergunta. Vocês acham que as reuniões do Lula eram num convento?

quinta-feira, 16 de abril de 2020

Lições Virais - Ser é Melhor que Estar

Como esta pandemia está mudando a terra e a nossa percepção do Evangelho de Jesus Cristo!
Imagem de Paula Helit por Pixabay 
Depois de algum tempo observando as reações e o comportamento das pessoas durante este um mês e meio que estamos vivendo sob a sombra da incerteza, diante da ameaça invisível que parou o mundo, podemos tirar algumas lições importantes e, porque não dizer, alarmantes sobre o povo de Deus e seus mais diversos comportamentos e atitudes neste novo cenário global. E pasmem, meus amados, as conclusões não são nem um pouco animadoras.

A Crise da Fé


Se existe algo que ficou perceptível nos últimos 45 dias da pandemia é a crise de fé que se abateu, ou que já se abatia, sobre a igreja brasileira. Sem citar nomes, para não expor pessoas, vou descrever acontecimentos do meu entorno que me deixaram bastante preocupado com a qualidade do engajamento cristão neste século. Mas para que possamos entender melhor o que ocorre, é preciso definir as características da igreja atual.

Ir a Igreja ou ser Igreja


Durante as últimas décadas os crentes foram doutrinados ou acostumados a ir á Igreja e a frequentar um prédio como quem frequenta um clube social. A igreja física e geográfica ganhou uma importância que, em muitos casos, extrapola os limites da sanidade, passando a ocupar uma posição acima do próprio Cristo. Este ensino obscuro criou na membresia uma sensação de que a frequência a um determinado local facilita a ação do Espírito Santo e transmite a falsa ideia de um Deus limitado às quatro paredes do prédio.

Entenda que eu não estou afirmando que não devemos frequentar um espaço físico para nos reunirmos com outros parceiros de fé. Mas reduzir a comunhão dos Santos a isto é de uma pobreza espiritual extremamente grande. Mais importante do que ir a igreja é SER IGREJA em qualquer lugar.

Tempos Modernos


Quando Jesus viveu, fisicamente, entre nós ele não apenas fez um sacrifício que quitou a nossa dívida com o Eterno, ele também promoveu um upgrade no ser humano. Como diria uma antiga canção: "O véu que separava, já não separa mais". Se no tempo da lei, o Seu Santo Espírito estava sobre nós, na Graça ele se encontra em nós, nos levando para um novo patamar, no que diz respeito ao nosso relacionamento com o Deus Eterno.

Quando o Mestre afirmou que: onde estivessem dois ou mais Ele se faria presente, foi exatamente isso que Ele quis dizer. É evidente que, quando Ele proferiu estas palavras, nenhum ser humano imaginava que chegaríamos ao ponto de nos reunir virtualmente, mas com certeza Ele sabia.

A Bíblia nos adverte que chegará um tempo em que não teremos mais a liberdade de nos reunirmos presencialmente, mas isso não pode ser um impedimento para permanecermos em comunhão uns com os outros.

Precisamos Crescer

De volta ao início desta postagem, tenho visto, não poucos crentes, com medo de não poder ir a igreja (O Prédio), muitos praticamente em pânico, até mesmo com medo de perder a salvação. Isto é alarmante, pois mostra o quão inconsistente são os alicerces da nossa fé. Crentes sem nenhum preparo para perder, para sofrer e para serem afligidos.

Mas se, por um lado estas verdades são alarmantes e extremamente preocupantes, por outro nos mostra que precisamos repensar nossos conceitos. Creio, sem medo de errar, que estes acontecimentos que estamos vivendo como: a quarentena, o isolamento social, etc, não são apenas uma permissão de Deus, mas ouso ir além e entendo como o próprio agir de Deus no intuito de acordar seu povo.

O desfecho dos planos de Deus se aproxima e com ele tempos difíceis para o corpo de Cristo. Carecemos de um evangelho que cave fundo na palavra, que não seja superficial, mas que nos dê um choque de realidade a ponto de nos arrancar da Matrix do engano gospel, com sua religiosidade de R$ 1,99.

Que mais lições venham e com elas o crescimento que nos garantirá a vitória!



Crédito da Imagem:
Imagem de Paula Helit por Pixabay

segunda-feira, 2 de março de 2020

De Volta aos Podcasts

Depois de exitar inúmeras vezes acabei voltando a fazer Podcasts
Meu primeiro contato com o universo dos Podcasts foi em 2010. Naquela época, sem nenhuma experiência ensaiei um programa que teve apenas dois episódios. Cinco anos depois, em 2015, voltei a ativa com o Podcast do Esconderijo do Underground, que falava sobre cultura underground cristã e a maioria dos episódios foram feitos em parceria com meu amigo e irmão em Cristo, Eduardo Teixeira do Cristo Suburbano. Agora em 2020, convencido pelo meu brother, resolvi voltar a ativa co o podcast FIM DOS TEMPOS.


Neste novo modelo, vou conversar com você e também com convidados sobre assuntos da atualidade, a partir de uma cosmovisão cristã. E Neste primeiro episódio, como não poderia deixar de ser, falo sobre o novo Corona Vírus e qual a minha leitura deste fenômeno a partir de uma visão bíblica. O Resultado você confere logo abaixo.

OBS.: Caso não consiga visualizar a janela do podcast, desabilite seu adblock ou acesse pelo link direto no fim da postagem.

Link Direto: 001 - Corona Vírus - É Melhor Estar Preparado

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Seria a Ciência, a Religião do Milênio?

A matéria da Globo sobre criacionismo, ou é um atestado de pura ignorância, ou apenas um ataque deliberado a liberdade de pensar e crer!
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay 
Basicamente, eu não assisto a programação das emissoras de televisão. Somente em raras ocasiões e ontem foi uma dessas. Minha esposa me chamou para ver uma matéria do Jornal Nacional, da Rede Globo, sobre a discussão acerca do ensino do Criacionismo e Design Inteligente em contraposição ao Evolucionismo. Na verdade, o que eu assisti não foi uma discussão sobre o tema, mas um ataque planejado mostrando apenas um ponto de vista e ridicularizando, particularmente, como já é de praxe, os cristãos.

Não é de hoje que a TV do Roberto Marinho ataca a fé cristã e propaga a degradação moral da sociedade, mas este não é o foco deste artigo. Na reportagem, o Jornal Nacional não mediu esforços para deixar bem claro que só existe uma ciência aceitável: aquela que nega a existência de Deus. Mas será que é assim que deve ser a mente de um verdadeiro amante da ciência? Afinal, o que é ciência? 

"O conhecimento é um conjunto de informações adquiridas através da experiência ou da introspecção. Pode ser organizado sobre a estrutura de factos objetivos e acessíveis a vários observadores, através de um conjunto de técnicas e de métodos conhecido sob o nome de ciência. O vocábulo deriva do latim scientia, que significa precisamente conhecimento. A aplicação sistemática dos respectivos métodos dá origem a novos conhecimentos objetivos (científicos), que adotam a forma de previsões concretas, quantitativas e comprováveis. As previsões são susceptíveis de ser estruturadas em leis ou regras universais, que descrevem o funcionamento de um sistema e preveem como irão atuar em determinadas circunstâncias."¹

Conforme a definição acima, a ciência é este conjunto de conhecimentos acerca de alguma coisa, adquiridos por experimentação ou introspecção. Muito do que hoje é aceito como verdade científica, na verdade são apenas teorias, muitas das quais não foram sequer comprovadas ou não apresentam dados exatos. Posso citar o exemplo da constante gravitacional que, apesar de ser aceita e ensinada como algo factual, ao ser aplicada em experimentos reais apresenta resultados muitas vezes contraditórios e inesperados, ou a Teoria (se é teoria não é fato) da evolução das espécies que carece de registros fósseis transitórios que comprovem a sua veracidade ou ainda os métodos de datação arqueológica que muitas vezes apresentam discrepâncias como a presença de colágeno que não deveria existir em fósseis com uma determinada datação e isso acaba acontecendo. Qual o significado destas discrepâncias? A resposta é muito simples: A ciência feita por humanos falhos é tão falha quanto os humanos que a praticam. Com isso em mente não há lógica em dogmatizar um dado conhecimento como se ele fosse a última palavra.

Seria a ciência uma religião?


Da maneira como as supostas verdades científicas, aceitas pelo mainstream da sapiência humana, tem sido impostas a ponto de não tolerar um pensamento antagônico, a produção científica "oficial" acaba se comportando como uma religião que não pode ser questionada. Isto não é ciência, pois a verdadeira pesquisa científica é implacavelmente cética até consigo mesma, sempre questionando e sempre procurando novas respostas, por vezes até mesmo recuando em pensamentos e conceitos. Ao tratar a teoria do design inteligente como pseudo ciência, a matéria propalada pela emissora, motivo deste artigo, age de forma desonesta, como lhe tem sido peculiar, promovendo um linchamento moral no lugar de um debate inteligente. O design inteligente pode ser uma novidade para os desinformados mas é algo que vem de longa data ganhando adeptos. Muitos destes sequer estão interessados em provar a existência de um Deus ou deuses, mas de questionar o surgimento do universo e da vida, que abrangem uma engenharia tão meticulosamente complexa que torna praticamente impossível crer que tudo isto tenha surgido de um mero acidente.

Da mesma forma, ao atacar o criacionismo, sem mostrar os argumentos criacionistas em igual condição de espaço, a emissora transforma em alvo direto aqueles que pensam de forma diferente, levando a crer que a única liberdade que esta defende é dos seus comparsas em detrimento dos demais. Como diria o saudoso Nelson Rodrigues: "toda unanimidade é burra". Pensar fora da caixa é o que tem levado o ser humano em frente. Pois se não questionássemos nada, ainda estaríamos tentando preservar o fogo espontâneo provocado por algum raio na floresta.

Esta matéria, da rede que já foi líder, atesta a mentalidade vigente neste novo milênio que é a de extirpar da sociedade, todos os princípios éticos e morais basilares da civilização ocidental. Pois ações como esta ignoram, ou fazem questão de ignorar que foi a tão atacada religião cristã que fomentou a pesquisa científica, construiu hospitais e universidades, aprimorou a engenharia e arquitetura e patrocinou os maiores nomes da arte, em todas as suas ramificações. Este negacionismo exacerbado tem como maior resultado, o fracasso da sociedade moderna e parece cumprir as escrituras que sempre apontaram para o tenebroso fim da humanidade, perdida em seus espelhos que só refletem o ódio e o desejo de estarem acima de Deus. E sabemos muito bem o que acontece com os que alimentam tamanha cobiça.

Forte abraço e que Deus nos proteja nesta era das trevas digitais... 

Abaixo alguns links interessantes sobre o assunto:

  1. Livro sobre Design Inteligente
  2. Livro - A Teoria do Design Inteligente
  3. Matéria com dicas de leitura sobre Criacionismo