segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A Lealdade de Jônatas Deveria Ser a Nossa

No culto do último domingo, 22 de fevereiro de 2015, no Ministério das Gerações (MDG), o pastor Thomas Gonçalves utilizou o texto de 1º Samuel 18.1-4, que narra o nascimento da amizade entre Jônatas, filho do Rei Saul e príncipe de Israel e David, pastor de ovelhas e futuro Rei de Israel. O texto citado diz o seguinte:
Depois dessa conversa de Davi com Saul, surgiu tão grande amizade entre Jônatas e Davi que Jônatas tornou-se o seu melhor amigo. Daquele dia em diante, Saul manteve Davi consigo e não o deixou voltar à casa de seu pai. E Jônatas fez um acordo de amizade com Davi, pois se tornara o melhor amigo de Davi. Jônatas tirou o manto que estava vestindo e deu-o a Davi, junto com sua túnica (armadura), e até sua espada, seu arco e seu cinturão.

A amizade entre Davi e Jônatas é calcada na lealdade que é uma qualidade formada pela fidelidade, dedicação e sinceridade, ou seja: toda lealdade é carregada de fidelidade mas nem toda fidelidade é baseada na lealdade. Jônatas demostra sua lealdade a Davi entregando-lhe bens pessoais muito importantes no contexto da história, a saber: A capa, a armadura (túnica em algumas traduções), a espada, o arco e o cinturão. Cada um destes elementos representa um tipo de entrega. 
  • A Capa - Todos utilizavam uma capa naqueles dias, que servia como indicativo da posição social e hierárquica de cada um. Mas há de se convir que a capa de um príncipe era bem diferente e superior (em qualidade) a de um pastor de ovelhas. Ao entregar sua capa a Davi, Jônatas está reconhecendo e se submetendo a realeza, chamado divino e autoridade de David.
  • A Armadura - Sua função é proteger seu usuário. Dando-a a Davi, Jônatas demonstra não apenas que confia em Davi ao desproteger-se mas que está mais interessado em protegê-lo. Jônatas sabe que garantindo a integridade de Davi este não permitirá que lhe aconteça nenhum mal.
  • A Espada - Por tratar-se de um artefato de ataque, ao abrir mão de sua arma pessoal, Jônatas está demonstrando a Davi que este não precisa temê-lo, e mais, ele coloca sua própria vida nas mãos de Davi.
  • O Arco - No contexto da época o arco tinha sua função mais voltada para a caça do que para a guerra. Ou seja, era com o arco que se obtinha o alimento, o sustento para o dia-a-dia. Com este ato, Jônatas afirma que dará o sustento necessário a Davi para que este exerça seu chamado.
  • O Cinto - Uma das funções do cinto era e é prender a roupa de modo que seu usuário não se embarace além de servir para sustentar a espada.  Ao entregar seu sinto Jônatas demonstra disposição para sustentar David e auxilia-lo em algum embaraço.
Esta lealdade demonstrada a Davi é a mesma lealdade exigida de nós a Cristo, a Sua Igreja e consequentemente a seus representantes nesta terra. Quando nos agregamos a uma comunidade devemos ser leais aos nossos líderes na mesma proporção em que Jônatas foi leal a Davi. Somente agindo desta forma é que daremos aos líderes as condições de seguir em frente pois os mesmos estarão seguros do suporte de um povo leal. A pergunta que fica no ar é: Será que somos assim? Será que entregamos tudo de nós a Deus, confiando que Ele cuidará de nós? Será que estamos realmente dispostos a reconhecer e nos submeter a autoridade de Deus? Será que confiamos na proteção do nosso Deus? Será que realmente deixamos Deus lutar por nós? Será que estamos dispostos a sustentar a obra de Deus nesta terra? Será que estamos prontos a defender o nome do nosso Deus para que ele não seja envergonhado e seus propósitos não sejam embaraçados pelo nosso inimigo comum? Ou será que criamos nossos próprios monstros para termos do que fugir e nos esconder tirando a responsabilidade da obra de Deus das nossas mãos?

Será?!


Nenhum comentário:

Postar um comentário